Arquivo | janeiro, 2013

Filmes: 3/60

23 jan

As aventuras de Pi

Ano passado resolvi ler esse livro, apesar de todas as polêmicas em que ele está envolvido com relação ao plágio que o autor fez do livro Max e os felinos, li o livro editado pela Rocco, ou seja, na época ele ainda tinha o título mais próximo ao original que é A vida de Pi, e deixo aqui registrado a minha revolta por terem dado o título ao filme e a nova edição do livro como As aventuras de Pi.

Sexta-feira fui com meus pais assistir o filme. Claro que esperava muito mais, mas ainda assim achei uma boa adaptação. Como li o livro em novembro muitos detalhes eu não sei se realmente havia no livro, mas sei de uma ou outra coisa que faltou no filme.

 Estava muito preocupada em como eles iria tratar o assunto canibalismo, pois ele era uma parte essencial à história e não poderia ficar de fora, mas eles souberam como resolver o caso.

 Achei os efeitos encantadores, e o inicio do filme é espetacular, muito lindo assim como no livro, mostrando a magia e as cores da Índia.

Meus pais saíram do cinema arrebatados.

Livros: 4/30

20 jan

Essa semana li o sétimo livro da série Deixados para trás. Comecei a ler a série no ano passado, mas antes havia lido o primeiro livro da série teen (e nem me interessei pelos os outros, apesar de que naquela época eu era adolescente). 

A série adulta é muito boa, mas acho que faltou um pouco mais de cuidado da editora com relação a diagramação e revisão. Durante todo o livro percebemos marcações de coisas que deveria ter sido feitas antes da impressão do livro e simplesmente passou batido. Com relação ao conteúdo, o livro é excelente, e me ajudou a esclarecer muitas duvidas com relação ao apocalipse, mesmo sabendo que trata-se de uma ficção, havia pontos no livro de Apocalipse que eu não conseguia compreender.

Sobre o sétimo livro, foi o que achei mais cansativo de toda a série, ele tem pouca ação, mas no final há uma melhora muito considerável, tanto que já estou curiosa para ler o oitavo, mas isso só vai acontecer depois que eu ler Emma.

Estava pensando essa semana, além de postar a foto da capa vou tentar mostrar a vocês como é a edição do livro.

Capa

DSCF3405

 

Como vocês podem notar os livros tem orelhas, a é legal dizer que todos seguem o mesmo padrão.

 DSCF3406

 

Aqui tá o que achei um problema enorme, texto sem justificar, a primeira coisa que faço ao escrever um texto é justificá-lo.

 

DSCF3407 DSCF3408

 

 

 

Filmes: 2/60

19 jan

 

O Fantasma da Ópera

20218810.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxTítulo Original: Andrew Lloyd Webber’s The phantom of the opera

Direção: Joel Schumacher

Nacionalidade: EUA

Ano de produção: 2004

Gênero: Fantasia, Musical

Sinopse: La Carlotta (Minnie Driver) é a diva de uma conceituada companhia teatral, que é responsável pelas óperas realizadas em um imponente teatro. Temperamental, La Carlotta se irrita pela ausência de um solo na nova produção da companhia e decide abandonar os ensaios. Com a estréia marcada para o mesmo dia, os novos donos do teatro não têm outra alternativa senão aceitar a sugestão de Madame Giry (Miranda Richardson) e escalar em seu lugar a jovem Christine Daae (Emmy Rossum), que fazia parte do coral. Christine faz sucesso em sua estréia, chamando a atenção do Visconde de Chagny (Patrick Wilson), o novo patrocinador da companhia. O Visconde e Christine se conheceram ainda crianças, mas ele apenas a reconhece na encenação da ópera. Porém o que nem ele nem ninguém da companhia, com exceção de Madame Giry, sabem é que Christine tem um tutor misterioso, que acompanha nas sombras tudo o que acontece no teatro: o Fantasma da Ópera (Gérard Butler).

 

Breve comentário:

Ainda não sei como muitas pessoas podem não gostar de musicais, acredito que essas que dizem nunca separaram um tempinho para ouvir um bom musical, como Moulin Rouge, Across The Universe e O Fantasma da Opera, bem são esses os que me recordo no momento. 492649930668538_i3CniLOT_c

Sempre alimentei uma enorme vontade de assistir O Fantasma da Opera, já havia ouvido vários elogios e sabia também que tem o livro, apesar de ainda não ter tido o privilégio de lê-lo, resolvi assistir o filme primeiro. Não tenho mto a dizer, adorei, gostei muito de várias musicas. O único problema foi  assistir no serviço e o telefone por incrível que pareça não parava de tocar, pois é, o telefone quase não toca e no momento em que estava vendo o filme ele não parou um minuto, mas isso não atrapalhou a minha experiência.

Quero assistir mais musicais, alguém me indica algum?

3/30

19 jan
Quando estava na quarta série meu professor de português nos fez ler Carlos Drummond de Andrade, era uma tentativa de nos introduzir a poesia adulta, não mais aquela do Ou isso ou aquilo de Cecília Meirelles (é bom lembrar que Cecília também escreveu poesias adultas, como poderia me esquecer do Romanceiro da Inconfidência que é lindíssimo?). Foram várias aulas, ele não tentava nos explicar o significado daquilo, e acho que foi isso que deixou as aulas mais interessantes. Em uma aula ele entregou uma folha cheia de pequenas poesias de Drummond e nos fez ler, depois promoveu um mini concurso (uma espécie de recital) para nos fazer decorar as poesias.
Posso dizer que na época em que este fato ocorreu, gostei, mas não consegui apreciar com toda a qualidade a grandiosidade de Drummond, ainda assim, ficou na minha memória alguns fragmentos da poesia Infância. Depois já amadurecida, procurei ela na internet, com aquilo que ainda me restava na memória consegui encontrá-la, como é que era??? “Minha mãe ficava sentada cozendo” e tinha mais, claro! O verso mais bonito “E eu não sabia que a minha história era mais bonita que a de Robson Crusoé”.
Existem ainda aqueles que são menos pops, mas como não admirar uma pessoa que consegue expressar na simplicidade que a história dele é mais bonita que qualquer outra considerada grandiosa?
Nos últimos quinze dias estive lendo a antologia poética de Drummond, organizada por ele mesmo. Minha leitura foi um pouco afetada, pois tiveram dias que eu não estava muito com paciência para poesia, mas o ultimo (terça-feira) foi um acalanto total. Segunda-feira tive o principio de uma crise nervosa, estava no trabalho e lá não tenho muito serviço, com isso acabo levando vários livros para ler, mas até para quem gosta, apenas ler cansa, e foi o que me ocorreu, eu não tinha opções. Minha amiga Adriana me sugeriu para que eu levasse o notebook para o serviço e assim poderia ver filmes e foi o que fiz, tanto que este post está sendo escrito enquanto eu trabalho (risos). A ideia foi muito bem recebida, assisti O Fantasma da Opera (devo comentar no próximo post) e no horário de almoço fui terminar o livro do Drummond.
 IMG_20130115_130051
Crianças, se vocês ainda não dedicaram um tempinho a esse autor, não perca mais tempo, vou deixar aqui uma poesia que se encontra na antologia e vá logo para a biblioteca atrás do livro dele =).
Lira Romantiquinha
Por que me trancas
o rosto e o riso
e assim me arrancas
do paraíso?

Por que não queres,
deixando o alarme
(ai, Deus: mulheres!),
acarinhar-me?

Por que cultivas
as sem perfume
e agressivas
flores do ciúme?

Acaso ignoras
que te amo tanto,
todas as horas,
já nem sei quanto?

Visto que em suma
é todo teu,
de mais nenhuma,
o peito meu?

Anjo sem fé
nas minhas juras,
porque é que é
que me angusturas?

Minh’alma chove
frio, tristinho.
Não te comove
este versinho?

2/30

17 jan

Segunda terminei o livro da Mario Quintana que estava lendo. A Alfagara como sempre fez um excelente trabalho, a edição está lindíssima, a capa está bem caprichada e a edição reúne os três primeiros livros do autor: Canções, Sapato Florido e A Rua dos Cataventos.

 

IMG_20130114_095948

 

 

Uma vez no colégio fiz uma tentativa de ler Mario Quintana, mas li apenas alguns versos. Para falar a verdade, mesmo agora ele não me conquistou tanto assim, acho que ainda devo precisar de um pouco mais de amadurecimento para compreendê-lo, ainda assim, muitas poesias dele conseguiram me tocar. 

 

Pensei em postar uma poesia, mas esqueci o meu diário de leitura no trabalho, então dessa vez vou ficar devendo.

 

Bjos

1/30

14 jan

Este não vai ser um post resenha, pois pretendo fazer uma sobre todos os livros que eu ler em 2013 para o Livretando. Aqui o meu intuito é ser mais pessoal, escrever sem formalidades mesmo…

Vim hoje conversar um pouco com vocês sobre o primeiro livro que li em 2013, e amanhã eu espero poder voltar e falar sobre o segundo que eu já terminei também.

Sou daquelas que adora histórias detalhadas, por isso vou contar desde quando iniciou meu interesse pelo o livro.

O livro em questão é A Guerra dos Tronos, o primeiro da série As Crônicas de Gelo e Fogo, e já disse que esse é o nome da série.

735163_537659712913131_2049735872_n

No final de 2011 ouvi aquele burburinho que essa série estava causando e fui procurar saber. Fiquei sabendo que George R.R. Martin estava sendo considerado o Tolkien americano, só que melhor. Muitos devem saber da paixão que alimento pelo O Senhor dos Anéis, então não poderia deixar de procurar saber quem era esse cara que estava sendo considerado melhor que Tolkien. Li algumas coisas na net e não é que me interessei pelos livros? Fui em uma livraria, li a primeira página e o cara me conquistou, mas demorei um ano para comprar os livros, o que não foi ruim, considerando que já comprei os cinco primeiros de uma vez.

Então, após ouvir várias recomendações e insistências para eu ler a bendita da série, decidi que A Guerra dos Tronos seria meu primeiro livro do ano e não me arrependo, a escolha foi perfeita.

Um problema: não vou conseguir ler o próximo agora, porque não é brincadeira ler um livro com mais de 500 páginas com uma fonte super pequena (apesar de eu ter levado apenas duas semanas para ler, porque não tem como parar de ler), mas não me espanto em saber que existem pessoas que conseguem ler um atrás do outro, pois gente, o cara sabe escrever.

Não vou falar aqui sobre o que se trata o livro, pois acho que muitos já conhecem e vou fazer isso na resenha, mas posso dizer que a linguagem não é nada complicada. Os elementos fantásticos existem, mas não são o essencial do livro. O mais legal aqui é a política que encontramos no livro e o jogo para conquista do poder. Outro aspecto interessante é que as mulheres cumprem um papel, elas são importantes para trama.Stark

Bem, eu tenho vários personagens favoritos, mas a Arya é sem duvidas a minha favorita. Ela demonstra uma força inimaginável, uma coragem que não sei de onde ela tira. game-of-thrones-1x02-the-kingsroad-arya-stark-cap_mid

Ontem aproveitei o tempo livre e assisti ao primeiro episódio da primeira temporada, gostei muito, já de iniciou deu para notar que a adaptação foi muito bem feita, claro que tenho que assistir os outros, mas já gostei de inicio. O único problema é que fui assistir junto do meu pai e não foi boa ideia, apesar dele ter gostado muito da história.

Ah, não posso deixar de falar a minha opinião se Martin é ou não melhor que Tolkien. Bem ele me conquistou, mas não acho que exista uma forma de comparar os dois, pois tratam-se de fantasia, mas diferentes, então eu gosto dos dois.

Enfim, em breve posto para vocês o link da resenha que espero escrever em breve.

Bjos

Compras de livro

9 jan

bolsas-de-compras-11

 

Uma das coisas que mais me deixou preocupada no final do ano passado foi a quantidade de livros que adquiri em um ano e como muitos deles foram negligenciados. Pensando nisso e ao conversar com meu amigo Rafa, decidimos que não iríamos comprar ou pegar livros na biblioteca enquanto não terminássemos os que tínhamos em casa.

Ele está conseguindo, eu não.

Com a virada do ano, as pessoas fazem mil planos, decidem melhorar de vida e chega a ser até comovente! Eu também resolvi fazer meus mil planos e mudar minha vida. Não vou parar de comprar livros, acho isso simplesmente impossível. (E terão aqueles que irão defender: ah, mas sua compra é de livros, coisa importante e etc. Mas galera, o descontrole tá enorme e isso não tá legal, estou me sentindo uma viciada descontrolada.).  Então decidi que vou continuar comprando, mas de forma racional. Vou explicar como vai funcionar, porque sei que muitos passam pelo o mesmo problema, seja com CDs, DVDs, etc e assim quem sabe consigo auxiliar!?

A ideia consiste em ler os livros que já temos e assim nos premiar com compras. Eu quero tentar ser o mais radical possível, então vou fazer da seguinte forma:

Comprar dois livros após ler 3 livros da minha biblioteca particular.

Só isso? Muito simples né?

Não!

Vou complicar um pouco mais.

Tenho aqui vários livros que peguei emprestado e juro, sou viciada em livros, mas sempre devolvo os que não são meus. Mas com o tempo esse número de livros também aumentou consideravelmente, devo estar com uns dez. Eu explico: Alguns são de uma série que estou lendo, e realmente ando lendo eles. Por isso resolvi intercalar e o resultado será esse:

Ler um livro meu e um livro emprestado.

Com isso para eu comprar um título terei que ler 5 livros. E o ano já começou bombando! O primeiro título é Guerra dos Tronos. Acho que para comprar o primeiro livro do ano levarei no mínimo um mês.

Então galera, o fato é: Tudo em excesso faz mal, seja para o seu corpo, seja para o seu bolso, controle é essencial.

Claro que isso vai ser muito difícil, mas não quero ter recaídas e já estou batalhando muito para isso, pois estou louca para comprar Maus, porém eu prometo que vou tentar até o ultimo instante.

Depois volto aqui para contar como estou fazendo para não comprar um kindle e meu resultado com esse racionamento.