Archive | julho, 2012

Leituras do mês #2

29 jul

O mês está acabando e vim falar um pouco sobre a minha meta literária que foi completamente por água abaixo.
Leituras propostas:

• Ensaio sobre a lucidez – José Saramago
O Estrangeiro – Albert Camus
• Vidas Secas – Graciliano Ramos

 

Aqueles que acompanham o blog sabem que fiz um post no inicio do mês falando das leituras que estava disposta a fazer, o primeiro livro que coloquei como meta foi Ensaio sobre a Lucidez do Saramago, e infelizmente não consegui concluir. Eu já havia lido um livro do Saramago e gostei muito da forma que ele escreve (a pontuação dele é bem diferente) e também sobre a sua visão critica sobre a sociedade. Porém, eu não consegui engrenar na leitura de Ensaio sobre a lucidez, talvez não seja o momento de ler este livro, por isso resolvi deixar para mais tarde.

Leituras Realizadas:

• O Estrangeiro – Albert Camus
• O conto da ilha desconhecida – José Saramago
• Bonequinha de Luxo – Truman Capote
• Histórias de Cronópios e de fama – Júlio Cortázar


O segundo livro que me propus a ler foi O Estrangeiro. Galera, esse livro é fantástico, ele inicia com o personagem falando que ele havia acabado de receber a noticia da morte da mãe, e nessa primeira parte notamos a relação seca dele com este fato. E durante parte do livro eu estava questionando quando ele iria fazer a viagem ao exterior, afinal o livro tem o título de O Estrangeiro, porém percebemos que na verdade ele é estrangeiro desde o inicio do livro, não estrangeiro em um país, mas sim no planeta. Ele é um cara totalmente diferente. Bem, adorei o livro e pretendo ler em breve outras obras do autor, afinal o cara recebeu o Nobel de Literatura e isso não é qualquer prêmio.
Eu também disse que iria ler Vidas Secas, mas fui à Biblioteca Pública, que agora virou um anexo da minha casa (risos), e peguei dois livros, Bonequinha de Luxo do Truman Capote e Histórias de Cronópios e de Fama de Júlio Cortázar. Como devem ter percebido, a leitura de Vidas Secas foi adiada. Mas durante o meu passeio à Biblioteca um amigo que me acompanhou, disse que eu precisava ler O Conto da Ilha Desconhecida do Saramago, e eu iria ler lá na biblioteca mesmo, mas estava sem almoço, então chegando em casa procurei na net e li…


Sobre o conto da ilha desconhecida, ele é um livro pequeno, porque como o nome já diz,trata-se de um conto, mas é muito lindo, e todos devem ler!Eu fico sem palavras para descrever tal obra, mas ele nos trás algumas reflexões muito interessantes. Então vou deixar o link para vocês aqui.


Sobre o livro do Cortázar eu nunca havia lido obra nenhuma dele, acredito que a mais famosa, me desculpe se estiver enganada, seja O Jogo da Amarelinha, este eu também quero ler, mas como o meu companheiro queria lê-lo e a cota dele de livros já estava ultrapassando, peguei este para iniciar e depois emprestá-lo. Gostei muito, achei interessante a forma que o autor fala sobre coisas simples do nosso cotidiano, coisas que talvez nunca tenhamos pensado em falar. É um livro pequeno e rico e despertou minha curiosade sobre as outras obras do autor.


Bonequinha de luxo – Gostei da forma que Capote escreve. Eu sempre falo sobre a forma de escrever do autor, pois é o que mais me chama a atenção e neste caso específico, li este livro justamente para observar a escrita, já que Capote foi um jornalista importante e meu amigo já havia me dito que é muito legal a forma que ele escrevia. Depois de ler este livro concluo que a leitura de A Sangue Frio é obrigatória para mim, e logo vou pegar na biblioteca da faculdade e comento com vocês.
Bem sobre as leituras de agosto eu posso antecipar que já iniciei uma delas que é As Crônicas de Nárnia, leitura que eu já interrompi umas três vezes, mas agora eu quero muito terminar. Gente, como vocês devem ter notado, essa é uma lista que pode sofrer alterações, mas acho que vou seguir a seguinte ordem:

• As crônicas de Nárnia – C.S. Lewis
• A História Final – Álvaro Cardoso
• 1984 – George Orwell
• Melancia – Marian Keyes

Como vocês podem notar vai ser bem variada a minha leitura, um livro infanto-juvenil porque é de uma série que fui ler na adolescência e na biblioteca que eu pegava livros não tinha o ultimo livro da série, e eu preciso terminá-la (risos) e um chick lit porque estou precisando rir um pouco e dar um descanso a mente.
Bem, post longo, mas espero que tenham gostado.

Link do Conto de Ilha Desconhecida: http://www.ufrgs.br/tramse/pead/textos/saramago.pdf

PS.: Para quem ainda não leu nada do José Saramago, aproveitem para ler o conto, pois nele dá para notar o estilo diferenciado na escrita do autor.

Achados encantadores #1

21 jul

Pq eu adorei esse texto http://www.alinevalek.com.br/blog/2012/06/joelhos-calejados-de-lego/ e acho realmente que fazer uma visita a esse site vale mto a pena =).

Faz tempo que conheço, mas só agora lembrei de compartilhar http://eutededico.tumblr.com/

Feliz dia do amigo

20 jul

Capítulo XXI

(…)

E foi então que apareceu a raposa:
– Boa dia, disse a raposa.
– Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
– Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira…
– Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita…
– Sou uma raposa, disse a raposa.
– Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste…
– Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
– Ah! desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
– Que quer dizer “cativar”?

(…)

– É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa “criar laços…”
– Criar laços?
– Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…

(…)

Mas a raposa voltou à sua idéia.
– Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra.

O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo…
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
– Por favor… cativa-me! disse ela.
– Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
– A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!

(…)

Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
– Ah! Eu vou chorar.
– A culpa é tua, disse o principezinho, eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse…
– Quis, disse a raposa.
– Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
– Vou, disse a raposa.
– Então, não sais lucrando nada!
– Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.

(…)

E voltou, então, à raposa:
– Adeus, disse ele…
– Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
– O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
– Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
– Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa… repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
– Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa…
– Eu sou responsável pela minha rosa… repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

Diário de Leitura #1 – Bonequinha de Luxo

19 jul

‎”No dia seguinte, sexta-feira, eu voltava para casa quando encontrei, diante da minha porta, um cesta de luxo de Charles & Co. com um cartão: Srta Holiday Golightly, Viagens – e, rabiscado no verso, numa caligrafia grotescamente desajeitada, de jardim de infância: Deus lhe pague, Fred querido. Por favor, perdoe a outra noite. Você foi um anjo. Mille tendresse – Holly
Ps. Não vou incomodar de novo.
Eu respondi: Por favor, income, e deixei na porta dela o bilhete acompanhado daquilo que o meu bolso alcançava, um ramalhete de violetas comprado na rua.”

Truman Capote – Bonequinha de Luxo

Depressão pós faculdade

16 jul

Recebi esse texto por e-mail, enviado por um colega da sala Tiago Max e como ele retrata bem o momento vivido por mim, resolvi compartilhar aqui.

Depressão pós faculdade

por Thiago Anunciação

Você passa quatro anos indo para o mesmo lugar todos os dias, vendo as mesmas pessoas, falando sobre o mesmo assunto, agüentando os mesmos professores chatos, idolatrando os mesmos professores ótimos, reclamando dos mesmos problemas, comendo o mesmo Salgado, bebendo no mesmo boteco fedido.

Você passa quatro anos querendo sair mais cedo da aula todos os dias contando as moedas pra tirar mais uma das milhares de xerox, se revoltando com a quantidade de páginas da xerox, se desesperando nas provas, quebrando a cabeça pra fazer uma pauta, deixando de dormir até mais tarde no fim de semana pra fazer o tal do trabalho, indo dormir mais tarde pra fazer o tal do trabalho.
Isso tudo, sem contar o último ano, em que todos esses fatores são multiplicados por quantas vezes você achar melhor. E lá vem a monografia, que tira seu tempo, seu sono, sua paciência, seus fins de semana, seus feriados, suas refeições bem feitas, seu namorado, suas noites bem-dormidas, sua diversão.
Mas, em compensação você ganha, entre os itens que mais se destacam, um belo par de olheiras e aversão à gráficas (incluindo as pessoas que lá
Trabalham) e impressoras (um grande parabéns aos que não quebraram ou não deram pelo menos um soco em alguma). Não podemos deixar de citar as brigas com o seu grupo ou com uma colega de classe e as incontáveis vezes em que você escreveu, reescreveu, editou, gravou, fotografou, deletou tudo e começou de novo.
Chega o grande dia e junto com ele, um imenso alívio. É isso. Acabou.Tchau. Bye bye. Até mais. Te vejo por aí.
Você trabalha e depois das 18h vai pra casa. No dia seguinte também. E no outro, e no outro.
Alguns arrumam outras atividades pra ocupar o tempo.
Outros simplesmente vão pra casa, sentam-se no sofá e assistem tv, dormem, comem, babam na almofada sem se importar em ver o tempo passar.Mas, têm também aqueles que sentem um enorme vazio. Cadê os meus amigos pra conversar?
E os textos que eu tinha pra ler? Para onde foram professores que eu parava para trocar idéia no corredor?
Cadê tudo o que eu fazia todos os dias? Cadê as pessoas que eu convivia?
Acabou.
É, meu amigo. Está com esses sintomas? Então você está com a tal da DPF
-Depressão pós-faculdade.
Tudo aquilo que você xingou por anos, agora faz uma falta enorme aí na sua vida. Ficou um buraco. E, se você não aproveitou, esse buraco fica ainda maior.
Portanto, se durante os cinco anos você não quis comer aquele Salgado gorduroso, tomar a cerveja no boteco da esquina, comprar a trufa que sua colega vendia, fazer a pauta, escrever a matéria, gravar o programa, pegar a sonora , fotografar o fulano, diagramar o texto, estudar pra prova, pedir pro professor tirar sua falta, conversar durante a aula e tomar bronca, dar uma de nerd e responder o que o professor pergunta e muito, muuuuito mais… Perdeu.
Se você está entrando na faculdade agora, aproveite cada minuto. Xingue, mas não deixe nada passar.
Agora, se assim como eu, você fez tudo isso e com muito orgulho, curta a saudade, reencontre os amigos e professores e lembre-se que essa foi uma das melhores épocas da sua vida.

E que, da faculdade, você tire pelo menos esta lição: os momentos e as pessoas são únicos !!!
E as oportunidades também.
Vai deixar saudades!!!!!


Sobre os agradecimentos

14 jul

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essa foi uma semana de muitas emoções, na terça-feira aconteceu o culto de formatura e na quarta a colação de grau. Fiquei muito contente, pois amigos que eu nem esperava compareceram nos eventos para prestigiar a minha vitória, muitos que compartilharam os meus momentos de raiva, de desespero e agora o momento de celebração.

Estou muito feliz de ter concluído o curso, não foi fácil, encontrei pedras no caminho, mas hoje posso dizer que venci, e que está vitória não é só minha, pois não conquistamos nada sozinhos, tive aqueles amigos de faculdade que sempre fizeram trabalhos comigo, e também aqueles amigos que descobri só no sexto período.

Agora encontramos o medo, é hora de enfrentar o mercado, estamos cheios de sonhos e esperanças, mas sabemos que nem tudo são flores, agora é a hora de correr atrás do tão sonhado emprego, hora de querer colocar em pratica tudo aquilo que aprendemos na faculdade, mesmo sabendo que muita coisa é diferente, mas o que queremos é fazer o certo.

Eu agradeço a todos que torceram, sonharam e choraram comigo. Aos meus pais que sonharam, lutaram, investiram no meu sonho. Aos meus tios que incentivaram o tempo todo, meus primos pelo o carinho e amizade. E aos meus amigos que sempre me disseram para seguir em frente, que sempre ouviram as minhas queixas. Obrigada por tudo!

E para os meus amigos o que posso dizer é que vou sentir saudade, de cada riso, de cada brincadeira, de cada festa, de cada momento que vivemos juntos, das tristezas compartilhadas pela perda do amigo que realmente se foi, e da alegria da descoberta de que um dos amigos que achamos que tinha ido, na verdade estava vivo. Vou sentir saudades das conversas nos banquinhos, das discussões quentes sobre o capitalismo (aquelas que eu sempre prefiro ficar calada). Vou sentir muitas saudades de todos vocês.

Gabriel García Márquez

6 jul

Nesta semana falei de um livro que me apaixonei, bem já havia ouvido dizer que Gabriel García Márquez estava se aposentando, mas hoje a noticia foi confirmada por Jaime Gárcia Márquez, irmão do autor. Conforme ele relata Márquez não poderá continuar a escrever sua biografia, o escritor colombiano sofre de demência senil, porém “ainda conserve o humor, a alegria e o entusiasmo que sempre teve” diz Jaime.

Vocês podem ler a noticia completa na página do Estadão.

Só li uma obra dele, mas fiquei chateada com a noticia, pois o pouquinho que conheci já deu para notar a sua grandeza e importância.