Archive | março, 2012

Questões do coração

25 mar

Sinopse – Questões do coração

Tessa Russo é mãe de dois filhos e esposa de um renomado cirurgião pediátrico. Apesar de todos os seus receios, ela recentemente abandonou sua carreira para se concentrar em sua família, na busca pela felicidade doméstica. Por fora, parece destinada a viver uma vida encantada.

 Valerie Anderson é uma advogada e mãe solteira de um garotinho de seis anos, Charlie, que nunca conheceu seu pai. Depois de muitas decepções, desistiu do amor e até mesmo das amizades. Acreditando que é sempre mais seguro não criar muitas expectativas. lerie A

 Embora as duas vivam na mesma área de Boston, elas têm pouco em comum, com exceção do amor incondicional por seus filhos. Mas em uma noite, um trágico acidente faz suas vidas se convergirem de uma maneira inimaginável.

Com pontos de vista alternados e absolutamente bem delineados, Emily Giffin cria uma história comovente e brilhante de pessoas de bem sendo pe

gas em circunstâncias insustentáveis. Todas sendo testadas como nunca imaginaram ser possível. Todas questionando tudo no que um dia acreditaram.

 E todas por fim descobrindo o que realmente importava.

  • Editora: Novo Conceito
  • Autor: EMILY GIFFIN
  • ISBN: 9788563219312
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2011
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 438
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio
  • Código de Barras: 9788563219312
Minha leitura:

Sessão Saudade

18 mar

“Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular.“Saudade”, só conhecida em galego e português, descreve a mistura dos sentimentos de perda, falta, distância e amor.” Wikipédia

São tantas coisas que marcaram a minha vida e hoje não existem mais, ou não tem o mesmo significado que tiveram durante um determinado tempo. Esses dias no meu coração tem reinado uma grande saudade e não é apenas das coisas conhecidas, é uma saudade de tudo. Saudade dos amigos que não vejo ou não tenho mais contato, saudades de escrever cartas, dos velhos diários, dos livros de infanto-juvenil que lia durante as tardes após voltar do colégio, dos discos de vinil, das propagandas da Sukita. Saudades de um passado não vivido por mim e sim pelos meus pais, ou o passado que vivi, mas que não volta. Saudades do futuro ainda desconhecido, mas que tem sido sonhado e planejado.

Para recordar os momentos que foram marcantes para diversas gerações e compartilhar com alguém em um espaço “concreto” de forma poética, corto a fita vermelha e inauguro a “Sessão Saudade”.

Autor da Vez

17 mar

Emily Giffin é formada pela Universidade de Wake Forest e pela Escola de Direito da Universidade de Virgínia. Após trabalhar em uma empresa de advocacia, por vários anos, mudou-se para Londre a fim de escrever em período integral.

Pelo The New York Times:

  • O noivo da minha melhor amiga
  • Something Blue
  • Baby Proof
  • Ame o que é seu.

Atualmente vive em Atlanta com seu marido e três filhos.

Um belo inicio:

“Sempre que fico sabendo de alguém que passou por uma tragédia, não penso no acidente ou no diagnóstico, nem mesmo no choque inicial ou no posterior sofrimento. Em vez disso, encontro-me recriando os momentos corriqueiros que antecedem a tragédia. Momentos que compõem nossa vida, momentos que passaram despercebidos e que, provavelmente, seriam esquecidos se não fossem os eventos que se seguiriam. As lembranças anteriores à tragédia.

Posso visualizar com clareza a mulher de 34 anos no banho em uma noite de sábado, pegando seu esfoliante de damasco favorito e contemplando o que vestir para festa. Torce para que aquele jovem atraente que conheceu em um café esteja lá, quando, de repente, encontra um inconfundível caroço em seu seio esquerdo.”

Questões do coração – Emilly Giffin

Precisamos falar sobre o Kevin

13 mar

Sinopse – Precisamos falar sobre o Kevin

A partir de um crime brutal, este best-seller mundial discute maternidade e casamento, família e carreira.

Eva Katchadourian na verdade nunca quis ser mãe – muito menos a mãe de um garoto que matou sete de seus colegas de escola, uma professora queridíssima, e um servente de uma escola dos subúrbios classe A de Nova York. Para falar de Kevin, 16 anos, autor desta chacina, preso em uma casa de correção de menores, a escritora Lionel Shriver arquitetou um thriller psicanalítico onde não se indaga quem matou. A trama se desenvolve por meio de cartas nas quais a mãe do assassino escreve ao pai ausente. Nelas, procura analisar os motivos da tragédia que destruiu sua vida e a de sua família.

Dois anos depois do crime, ela visita o filho regularmente. Aterrorizada por suas lembranças, Eva faz um balanço de sua trajetória onde analisa casamento, carreira, família, maternidade e o papel do pai. Assim, constrói uma meditação sobre a maldade e discute um tabu: a ambivalência de certas mulheres diante da maternidade e sua influencia e responsabilidade na criação de um pequeno monstro.

Ao relembrar o passado, reexamina desde o seu medo de ter um filho ao parto do bebê indócil que assustava as baby-sitters. Mostra o garoto maquiavélico que dividia para conquistar. Exibe o adolescente que deixava provas de péssima índole. “Precisamos falar sobre o Kevin” cria polêmicas ao analisar as sociedades contemporâneas que produzem assassinos mirins em série ou pitboys. Estimula discussões sobre culpa e empatia, retribuição e perdão nas relações familiares, e nos leva a debater uma questão tenebrosa: poderíamos odiar nossos filhos?

  • Editora: Intrínseca
  • Autor: LIONEL SHRIVER
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2012
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 464
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio

Continue lendo

Autor da Vez

12 mar

Desculpem o sumiço, mas a vida anda corrida, mas vou tentar manter o blog atualizado. Bjoo

Lionel Shriver

Margaret Ann Shriver, conhecida como Lionel Shriver, nasceu em 18 de maio de 1957 em Gastonia, Carolina do Norte, EUA. Jornalista e escritora. Ao completar 15 anos mudou seu nome, por gostar da forma que soava. Estudou na Universidade de Columbia. Colabora com os jornais The Wall Street Journal, The Philadelphia Inquirer e The Economist.