Doer, dói sempre

3 fev

“Bem como dizia o comandante, doer, dói sempre. Só não dói depois de morto, porque a vida toda é um doer.

O ruim é quando fica dormente. E também não tem dor que não se acalme – e as mais das vezes se apaga. Aquilo que te mata hoje amanhã estará esquecido, e eu não sei se isso está certo ou errado, porque o certo era lembrar. Então o bom, o feliz se apagar como o ruim, me parece injusto, porque o bom sempre acontece menos e o mau dez vezes mais. O verdadeiro seria que desbotasse o mau e o bom ficasse nas suas cores vivas, chamando alegria.

Pensei que ia contar com raiva no reviver das coisas, mas errei. Dor se gasta. E raiva também, e até ódio. Aliás também se gasta a alegria, eu já não disse?

Embora a gente se renove como todo mundo, tudo no mundo que não se repete jamais – pode parecer que é o mesmo mas são tudo outros, as folhas das plantas, os passarinhos, os peixes, as moscas.

Nada volta mais, nem sequer as ondas do mar voltam; a água é outra em cada onda, a água da maré alta se embebe na areia onde se filtra, e a outra onda que vem é água nova, caída das nuvens da chuva. E as folhas do ano passado amarelaram, se esfarinharam, viraram terra, e estas folhas de hoje também são novas, feitas de uma seiva nova, chupada do chão molhado por chuvas novas. E os passarinhos são outros também, filhos e netos daqueles que faziam ninho e cantavam no ano passado, e assim também os peixes, e os ratos da dispensa, e os pintos… tudo. Sem falar nas moscas, grilos e mosquitos. Tudo.”

Dôra, Doralina –  Rachel de Queiroz – 1975

Anúncios

16 Respostas to “Doer, dói sempre”

  1. Bianca Moraes 3 de fevereiro de 2012 às 10:41 PM #

    Nossa.. que bonito!
    Você sempre escolhe os melhores textos pra postar, né?
    Devia fazer um livro cheio deles! E daí teria seu nome na capa como organizadora! Eu comprava com certeza! 😀

    Beijinhos!

    • Thalita Alvarenga 3 de fevereiro de 2012 às 11:45 PM #

      Ah Bianca, que fofo o comentário =). Obrigada pelo o apoio e por acompanhar o blog e fique atenta que logo irei postar mais textos.

      Bjoooo

  2. Polyoly 4 de fevereiro de 2012 às 11:01 AM #

    Que lindo isso *_*
    Amei!!!
    Só o tempo pra cicatrizar uma dor 😦
    Bjuxxxx

  3. Alana Prado 4 de fevereiro de 2012 às 2:20 PM #

    Belas palavras, só podia ser de um dos livros da Rachel! 🙂
    aahh, obrigada pelo carinho. Seu comentário fez o meu dia ainda mais feliz!
    Beijooos, até!

    ps: Desde pequena sempre fui a Escola Dominical, gostava tanto. Tento passar a sensação que sentia, hoje para as outras crianças. ♥

    • Thalita Alvarenga 4 de fevereiro de 2012 às 3:03 PM #

      Rachel era maravilhosa né?
      Ah o recado foi o minimo, tenho certeza que vc merece mais =).

      Agora na igreja q vou não tem escola dominical, mas temos os grupos de crescimento durante a semana.

  4. Ju Lemos 5 de fevereiro de 2012 às 2:49 PM #

    Realmente conforme o tempo passa nos tornamos pessoas diferentes… Para o lado bom, assim deveria ser. Hoje não sou mais a mesma pessoa que era a 1 ano atrás. Mudei. Reavaliei. Me conformei. A raiva passou, o amor não… Infelizmente!

    • Thalita Alvarenga 7 de fevereiro de 2012 às 1:38 AM #

      Verdade… Como diz o poeta “Na do q foi se é do jeito q já foi há um segundo.”

  5. não me mande flores 6 de fevereiro de 2012 às 5:15 PM #

    Muito bonito e verdadeiro!


    Camila Faria

  6. Yuu 7 de fevereiro de 2012 às 2:15 AM #

    Concordo com o comentário da Bianca Morais, os textos daqui parecem ser escolhidos cuidadosamente, de tão bons que são. Gosto de ler textos assim, reflexivos e simples. A dor, apesar de seus efeitos, é necessária na vida de uma pessoa. Acredito que quanto mais uma pessoa sofre, mais forte ela fica. Porque nada é permanente, certo?

    Beijos.

    • Thalita Alvarenga 8 de fevereiro de 2012 às 2:46 PM #

      Meninas, fico muito feliz ao saber que vocês estão gostando dos textos e tenha certeza que sempre que possível irei compartilhar um pouquinho sobre o que leio por aqui.

  7. Luly 8 de fevereiro de 2012 às 1:37 PM #

    E doer dói mesmo!!
    Sempre. Mesmo.
    Mas a gente não teria a alegria de ver a dor sendo aliviada se a dor não existisse!!

    Respondendo o comentário:
    A Edição Diamante de O Rei Leão é ainda mais completa que a de Bambi!! Só que pra comprar tem que conferir se é a Diamante mesmo, porque a “Versão Dvd” que tá sendo vendida é pobrinha =(

    • Thalita Alvarenga 8 de fevereiro de 2012 às 2:47 PM #

      A dor é invitavel e totalmente necessária né?

      Depois olho então se encontro a versão diamante… Bjos e valeu pela dica.

  8. Arthur Fernandes 29 de fevereiro de 2012 às 4:56 PM #

    Muito a manha! Parabens pela escolha dos textos =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: