Sobre o fim

10 jan

“Thalita, começar é fácil, o difícil é terminar” – foi isso o que uma amiga me disse enquanto falávamos sobre os nossos relacionamentos fracassados. Eu já sabia disso e por mais que o tom dela fosse de brincadeira naquele momento, eu compreendia a seriedade e veracidade daquelas palavras.Depois de ter se passado praticamente uma hora que havíamos conversado via MSN, resolvi me deitar e refletir um pouco sobre os motivos de ser tão complicado terminar algo se nem havia ali um pouco de amor, e sei que nenhuma das partes envolvidas sentia algo forte pelo outro, apenas uma atração, mas essa era facilmente suportável. Não chegamos a um nível de envolvimento profundo, essa era a verdade. Mas então me recordei de algo que Martha Medeiros escreveu…

Em síntese o texto dela diz que a saudade é a dor que mais dói, mas não aquela saudade que mantemos contato com a pessoa, e sim aquela que dói justamente por não sabermos mais como vai aquela pessoa, se ela continua a ter os mesmos hábitos e medos. Tá, e o que a saudade tem a ver com tudo isso que escrevi anteriormente? Eu respondo: Tudo!

O nosso medo de romper é sobre a dor que podemos causar no outro, é saber que por mais que a relação tenha acabado de forma “amigável”, nunca iremos conseguir manter uma amizade sincera com aquela pessoa, pois sempre irão reaparecer as lembranças dos momentos em que estiveram juntos e muitas vezes será difícil nos conter.

Romper é saber que você não poderá mais ligar tarde da noite só para saber como foi o dia ou desabafar. Romper de certa forma é acabar definitivamente com qualquer chance de manter uma boa relação com a pessoa, pois nunca a amizade poderá ser a mesma, ou se não houve amizade anteriormente, as possibilidades de ela nascer agora simplesmente não existem.

E o mais duro ainda está por vir, quando você tem certo nível de maturidade, você sabe que o fim de uma relação sempre irá nos trazer dor. Quando o amor acabou ou não existiu, você sente uma tristeza pelo o seu fim ou inexistência. Quando você não sofre pelo o fim, sente-se culpado por não conseguir derramar lágrimas e quando você ama, o sofrimento é por saber que este amor terá que ser esquecido.

Thalita Alvarenga

Anúncios

10 Respostas to “Sobre o fim”

  1. Lari 10 de janeiro de 2012 às 9:45 PM #

    Terminar é sempre mais difícil mesmo. Mas conforme o nosso nível de maturidade, a dor vai diminuindo :/
    Beijo ❤

    • Thalita Alvarenga 10 de janeiro de 2012 às 11:06 PM #

      Ah não sei… ainda acho q o fim sempre será difícil, e dolorido, porém acredito que com o passar do tempo a dor pare, ou nos acostumamos com ela e nem a percebemos mais.

  2. drizinha 11 de janeiro de 2012 às 1:35 PM #

    Poxa, vida !
    Você conseguiu transcrever o que muitas pessoas passam até com relacionamentos de longos anos … Seu post conseguiu traduzir o fim de um relacionamento amoroso … mais como de amizade … Terminar, um relacionamento é difícil mesmo, doloroso … Nunca é fácil terminar quer vc esteja envolvido 1 semana ou 20 anos … Pra mim terminar … sempre foi difícil … mesmo quando os meus relacionamentos eram
    a longa distancia …

    • Thalita Alvarenga 11 de janeiro de 2012 às 6:03 PM #

      Como eu nunca havia passado por isso antes, vive apenas nas tentativas, descobri que realmente é complicado.

  3. Bianca Moraes 12 de janeiro de 2012 às 3:14 AM #

    É sempre complicado mesmo, né?

    Com o tempo, passa a ser menos “O FIM DE TODOS OS TEMPOS”, mas ainda assim, dói muito e é difícil…
    Mas, é a vida. E faz parte, né? ^^

    Beijinhos, dona moça!

    • Thalita Alvarenga 12 de janeiro de 2012 às 10:24 AM #

      Claro, sempre sobrevivemos. Com o tempo esquecemos a dor ou aprendemos a conviver com ela.

  4. Del 12 de janeiro de 2012 às 3:45 AM #

    imagino que terminar um relacionamento, principalmente se for um de muito tempo, é difícil por estarmos acostumados com a outra pessoa; acostumados com seus hábitos, manias; acostumados em ter sempre alguém ao nosso lado, com quem compartilhamos segredos, planos, beijos, abraços…

    aí é esperar o sr. tempo nos ajudar a acostumar com a ausência de tudo isso 🙂 afinal, não é o fim da vida, apenas (mais) um recomeço.

    beijo

    • Thalita Alvarenga 12 de janeiro de 2012 às 10:25 AM #

      Tbm acredito não ser o fim do mundo.
      Mas na hora sempre dá uma ideia de perda, principalmente quando vc sabe que a pessoa não vai querer mais nenhuma forma de contato.
      Mas sempre sobrevivemos.

  5. dreycka 17 de janeiro de 2012 às 12:04 PM #

    “Romper de certa forma é acabar definitivamente com qualquer chance de manter uma boa relação com a pessoa” – FECHOU!

    • Thalita Alvarenga 17 de janeiro de 2012 às 12:22 PM #

      Infelizmente, é simplesmente impossível manter uma relação tranquila com a pessoa que rompemos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: